Depois da Hora (Beatriz 802)

Eu e meus amigos, Lara, Manu e Diego estávamos na escola, ás 6:00 horas da tarde para fazermos a droga de uma copia! Eu já tinha escrito 54 vezes a frase “Não devo fazer tumulto na sala de aula, escola é lugar para aprender, não para bagunçar”, mas ainda faltavam malditas 146 vezes! Segundo a professora, eu tinha que escrever aquilo até a mensagem ficar “penetrada” na minha mente, e pra ela, 200 vezes era suficiente. Ah, aquela maldita bruxa vai ver só! Se o diretor souber que ela está prendendo os alunos até depois da hora ela ta ferrada! Logo hoje que os funcionários saíram mais cedo! Eu queria sair mais cedo também, afinal hoje é sexta-feira, e amanhã começam as tão esperadas férias.
Mas sério, deixar 4 alunos sozinhos numa escola á noite só por causa de uma cópia? Quer dizer, não estávamos exatamente sozinhos, tínhamos o zelador, ele sempre fica até tarde na escola, não se sabe o motivo mas tem umas lendas bem estranhas sobre ele, tipo, que ele mata crianças e tal, mas acho que a escola não contrataria um assassino.
_Ah, mas que chatice! Eu só copiei 32 até agora! E você Lara? - Perguntou Manu, se espreguiçando na cadeira.
_Eu copiei 103 até agora. –Disse Lara irritada, sem desviar o olhar do caderno, sem parar de copiar, tipo um robô.
_Que? Como assim minha filha? Você só pode ta brincando! É impossível que você já tenha copiado 103 vezes em 10 minutos! Você tem o que? Um foguete nas mãos? E além do mais, não sei por que essa pressa, você vai ter que me esperar mesmo! Né? –Diz Manu, impressionada pela velocidade de Lara, mas com certo receio que ela não á esperasse.
_Não Manu, eu não tenho um foguete nas mãos e sim, eu vou te esperar- Responde Lara, parecendo ainda mais irritada e copiando ainda mais rápido.
_Ebaaa! Sabia que você não ia fazer essa maldade comigo!
_Saiba que eu não vou te esperar porque eu quero! –Diz Lara, dessa vez parando de copiar olhando furiosa pra Manu. – Eu só vou te esperar por que a nossa mãe acha que seria gentil da minha parte esperar você! Se fosse por mim você ia SOZINHA! 
_Nossa, calma, não precisa se estressar! – Diz Manu, parecendo meio magoada.
_Ah é? Não preciso me estressar? POR QUE VOCÊ ACHA QUE EU TÔ AQUI? FOI VOCÊ QUE COMEÇOU A TACAR BOLINHAS DE PAPEL EM MIM! EU SÓ REVIDEI E OLHA SÓ ONDE ESTOU AGORA! FAZENDO ESSA DROGA DE CÓPIA QUANDO DEVERIA ESTAR EM CASA APROVEITANDO O COMEÇO DAS FÉRIAS! A PROFESSORA FICOU DECEPCIONADA COMIGO POIS ACHOU QUE EU ESTAVA PARTICIPANDO DA BRINCADEIRA! POXA, É A PRIMEIRA VEZ QUE EU FICO DE CASTIGO! –Diz Lara MUITO, furiosa! Nossa, pelo jeito que ela olha pra Manu parece que vai voar em cima dela!
_ Nossa, desculpa Lara, se eu soubesse que você ia ficar tão brava assim eu não teria te tacado a bolinha de papel! E além disso, quem começou a guerra foi o Nico, vá reclamar com ele!
_Eu? Eu não comecei nada! – Digo tentando me defender.
_Mentiroso! Começou sim! E ainda por cima foi com minha olha de caderno! - Diz Diego, botando lenha na fogueira.
_Tá vendo só? Foi ele Lara! Não bote a culpa em mim!
_ Seja lá quem começou a guerra, foi VOCÊ quem tacou a bolinha de papel em mim, então a culpa é sua! - Diz Lara ainda irritada. Poxa essa menina não vai se acalmar não?
_ HAHA, BEM FEITO MANU! - Digo, rindo da cara dela.
_ Não vem com essa risadinha não garoto, que eu te arrebento! – Diz ela querendo vir pra cima de mim.
_ Não vem não garota, sai de mim! – Digo saindo de perto dela, pois apesar de ser uma garota, essa maldita é bem forte!
Passaram-se uns 10 minutos depois dessa pequena discussão e eu finalmente tinha terminado. Mentira, eu ainda to no 94.
_Ahh, finalmente livre! – Diz Lara guardando o material e fechando o caderno.
_Você vai me esperar né? Você disse que ia me esperar! –Diz Manu, parecendo desesperada. Nossa que menina fresca, isso tudo pra não ir pra casa sozinha!
_Sim Manu, eu vou te esperar. Eu não sou idiota de chegar em casa sem você!
_Falando em idiotas, cadê o Diego? – Pergunto, pois não encontro o garoto na sala.
_ Ele disse que ia ao banheiro.
_ Tá, mais isso foi á uns 10 minutos Manu, esse garoto ta enfiado aonde? – Diz Lara parecendo preocupada, mas só parecendo mesmo, porque essa menina não se importa com ninguém.
_Deixa que eu vou ver! - Digo me levantando e indo em direção a porta.
_Tá, mas volta logo! Essa escola dá arrepios á noite! – Diz Manu, com um pouco de medo.
_ Haha, pode deixar!
Quando saio da sala de aula, me deparo com um corredor escuro, tipo, de dar medo mesmo. Nossa, até senti um arrepio na espinha agora! Começo a andar em direção ao banheiro, e, tem uma luz vindo de lá! Isso quer dizer que o garoto tá lá dentro certo? Errado. Aquele maldito não tá lá! Será que ele foi pra casa? Não o material dele ainda tá na sala de aula.
_Ahh, eu não sou babá de ninguém não! – Digo e me viro pra sair do banheiro.
_BU! 
Sabe quando sua alma gela? Quando você sente que vai morrer e sua vida passa na frente dos seus olhos? Foi assim que eu me senti no momento que eu vi aquela criatura na minha frente, tendo o rosto iluminado apenas pela luz do celular no meio daquele corredor escuro e com aquela cara de demônio que ele já tem.
_VOCÊ QUER ME MATAR DO CORAÇÃO?- Digo com minha mão no peito, tentando controlar minha respiração e tentando não voar em cima daquela peste.- JÁ PENSOU SE EU MORRO AQUI?
_ HAHAHAHAHA – O garoto nem ouviu o que eu disse, tava rindo descontroladamente enquanto eu tentava não voar em cima dele (De novo).
Sua risada foi parada pelo grito agudo e feminino que vinha da sala no fundo do corredor. Sim, era a sala onde nós estávamos.
Corremos desesperadamente para ver se tinha acontecido alguma coisa com as meninas e quando chegamos lá vimos um monstro enorme e rastejante indo na direção delas.
_ AHHHHHHHHHHH! – Sim, o grito foi meu. Algum problema?
_AHHHHHH! MATA ESSA BARATA NOJENTA! MATA, MATA!- Diz Manu, no canto da sala usando a Lara como escudo. A Lara não parecia feliz com essa situação.
_EU NÃO SUA LOUCA, MATA VOCÊ!- Digo subindo em uma das carteiras e torcendo pra barata não ser voadora.
_ MATA VOCÊ, O MACHO AQUI NÃO SOU EU!
_MINHA FILHA, NINGUÉM É MACHO QUANDO APARECE UMA BARATA! – Digo, ainda sob a proteção do meu forte (carteira).
_Ai, deixem de ser frescos! É só uma barata! – Diz Diego se aproximando da barata para matá-la. Só que ele não contava com um infeliz imprevisto: a barata era voadora! – AHHHHHH – Então nosso bravo soldado corre para o forte (carteira) mais próximo para se proteger enquanto o monstro gigante (barata) vai pra cima das meninas e pousa do lado de Lara, que pisa em cima dele, acabando com sua vida. Ah, Lara, minha heroína!
_ Que escândalo por causa de uma barata gente, que coisa! – Diz Lara arrumando suas coisas para ir pra casa.- Eu vou embora, se quiser vem comigo Manu. Termina de fazer isso em casa. A professora nem ta aqui!- Diz Lara antes de sair da sala.
_Tá legal gente linda, eu já vou indo! – Diz Manu arrumando seu material. Ela nem se lembrava mais da barata. Como pode isso? Eu ainda to desesperado!- Beij- De repente ela é interrompida por um barulho vindo do corredor, e nós corremos pra ver o que é.
Quando atravesso a porta vejo o corpo já morto de Lara no chão, em cima de uma poça de seu próprio sangue. Sua cabeça tinha sido acertada por um machado. Ao lado dela, está o zelador, segurando o instrumento que foi usado para tirar sua vida.
_ Olha só, vejo que tem alunos na escola depois da hora! Não se preocupem, agora vocês não saem mais daqui! – Diz ele com um sorriso maldoso nos lábios, enquanto vem arrastando o machado em nossa direção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário